Fechar

Acesso exclusivo

Esqueceu sua senha?

Esqueceu sua senha?

<< Voltar

MARQUE SUA CONSULTA


DERMATOLOGIA

SERVIÇOS

Clínica
Ver mais
/Clínica

Psoríase

Psoríase é uma doença inflamatória da pele, crônica, benigna, multigênica (vários genes envolvidos), com provável componente hereditário. Caracteriza-se por lesões avermelhadas e descamativas, normalmente em placas e nas regiões de articulação, como cotovelos e joelhos. Pode aparecer, também, no couro cabeludo e unhas. Não é contagiosa, por isso não é necessário evitar o contato físico.

Além da genética, estão envolvidos na evolução da doença: fatores psicológicos, estresse, exposição ao frio e uso de certos tipos de medicamentos. Ocorre em homens e mulheres, principalmente antes dos 30 e após os 50 anos. No entanto, em 15% dos casos, pode aparecer ainda na infância. É feito um diagnóstico clínico e, dependendo do quadro apresentado, recomenda-se o uso de medicações locais nos casos mais brandos, ou realiza-se tratamentos mais complexos em casos graves.

Tipos de Psoríase

Existem vários tipos da doença, que são classificadas de acordo com a localização e características das lesões:

  • A psoríase vulgar são as lesões de tamanhos variados, delimitadas e avermelhadas, com escamas ressecadas e aderentes, que surgem no couro cabeludo, joelhos e cotovelos.
  • A psoríase invertida apresenta lesões mais úmidas em áreas de dobras como axilas, joelhos (fossa cubital) e cotovelos (fossa poplítea).
  • Há a psoríase gutata que gera pequenas lesões localizadas, associadas a processos infecciosos. Afetam tronco, braços e coxas (próximas aos ombros e quadril) e acontece com maior frequência em crianças e jovens.
  • O tipo psoríase eritrodérmica caracteriza-se por lesões gerais em 75% do corpo, ou mais.
  • A psoríase ungueal proporciona depressões puntiformes ou manchas amareladas, principalmente nas unhas das mãos.
  • Psoríase artropática acomete cerca de 8% dos casos, pode estar associada a prejuízo articular e surge com dor nas pontas dos dedos das mãos e dos pés ou nas grandes articulações como a do joelho.
  • Na versão psoríase pustulosa aparecem lesões com pus nos pés e nas mãos (forma localizada) ou espalhadas pelo corpo.
  • No tipo psoríase palmo-plantar as lesões aparecem como fissuras nas palmas das mãos e solas dos pés.

Não há como prevenir a e nem uma forma de se acabar definitivamente com ela, mas é possível controlar a reincidência e até conseguir a cura clínica. No entanto, não se pode afirmar que a doença não vai voltar após o desaparecimento dos sintomas.

A adequada hidratação da pele, exposição controlada ao sol e uma vida saudável, sem estresse, também auxiliam no tratamento, além do constante acompanhamento dermatológico. Quanto ao tabagismo, o cigarro não só aumenta as chances de desenvolver a doença, como também eleva a gravidade da psoríase, quando se manifesta. Existem relatos de que o consumo de bebidas alcoólicas também torna o acometimento mais agressivo.

/comentários