Fechar

Acesso exclusivo

Esqueceu sua senha?

Esqueceu sua senha?

<< Voltar

MARQUE SUA CONSULTA


BLOG

NOVIDADES, DICAS E CONTEÚDOS

Glicação e os males do açúcar para a pele

Se você nunca ouviu falar de glicação, chegou a hora! O processo consiste na ligação que ocorre entre carboidratos, como a glicose, e proteínas, como as de sustentação da pele, independente de uma ação enzimática. Quando isso acontece, essas proteínas são modificadas, impedindo que as células desempenhem seus papéis. Quando alguém fala que o açúcar faz mal pra pele, é exatamente desse processo que se refere.

A reação causa danos às fibras elásticas e de colágeno, acelerando o envelhecimento da pele, causando perda de elasticidade e tonicidade. Mas, não se desespere! Existem diversas maneiras de driblar o problema, seja diminuindo o consumo de açúcar branco e o substituindo por opções mais saudáveis – como adoçantes naturais (Stevia e Xylitol) – ou utilizando dermocosméticos, feitos especialmente para combater os efeitos do açúcar na pele. Hoje em dia, vários protetores solares contêm ação antioxidante e antiglicante.

Além de fazer mal para a pele, o consumo de açúcar também pode causar problemas, como a diabetes e obesidade. Para quem adora comidas doces, atenção redobrada para não acabar ingerindo mais do que deve! A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou, em 2004, que o ideal era que o consumo diário de açúcar não ultrapassasse 50g. Em 2014, essa quantidade foi reduzida para 25g, que corresponde a seis colheres de chá de açúcar por dia. De acordo com a OMS, fazer com que 10% das calorias diárias sejam do açúcar é o mínimo para beneficiar a saúde. A redução dessa porcentagem para 5% proporciona efeitos positivos adicionais.

Para saber sobre outros alimentos que devem ser evitados para ter uma pele saudável, busque orientação de um médico.

/comentários

Dr. Bruno Vargas
Categorias Instagram