Fechar

Acesso exclusivo

Esqueceu sua senha?

Esqueceu sua senha?

<< Voltar

MARQUE SUA CONSULTA


BLOG

NOVIDADES, DICAS E CONTEÚDOS

Pele oleosa: perguntas comuns

Muita gente afirma “sofrer” por ter pele oleosa, mas, na verdade, a presença dessa oleosidade é fundamental para nosso organismo, desde que em níveis regulares. A produção sebácea tem o objetivo de manter a hidratação da pele, além de oferecer uma proteção natural e contribuir para o processo de renovação celular. Os problemas começam a aparecer quando a oleosidade é excessiva.

Por estar relacionada à predisposição genética, a produção sebácea elevada é uma condição que vai acompanhar certas pessoas ao longo de toda vida. Há também outros fatores envolvidos, como alimentação, uso de determinados medicamentos e estresse, por isso é importante que todos tenham o cuidado de manter o nível de oleosidade em condições saudáveis, levando em consideração as características naturais do próprio organismo.

Veja abaixo algumas perguntas comuns sobre pele oleosa e procure um dermatologista para saber quais são os produtos que funcionam melhor para você.

Pele oleosa precisa ser hidratada?

Sim. O conceito de oleosidade é distinto de hidratação. Uma pele oleosa pode estar desidratada. Existem hidratantes para pele oleosa, ou seja, são produtos livres de óleo que irão repor somente a água da pele. Produtos com ativos adstringentes, ou seja, que removem o excesso de gordura, são ideais para esse tipo de pele. Entretanto, não devem ser usados muitas vezes ao dia, sob o risco de deixarem a pele seca demais. Geralmente, duas ou três aplicações diárias é o suficiente.

Acne só aparece em peles muito oleosas?

Não necessariamente. O surgimento da acne está relacionado, sim, à produção sebácea do organismo, mas isso não significa que só pessoas de pele oleosa têm espinhas. A questão é que peles com essa característica apresentam maior propensão a desenvolvê-las, pois quanto maior a oleosidade produzida, maiores as chances de obstrução dos folículos sebáceos e de inflamação. Por isso, quem possui pele oleosa deve manter o rosto sempre bem higienizado, além de usar produtos adequados a suas características.

Fritura aumenta a oleosidade da pele? E chocolate?

Depende. Dependendo do que se come, o nosso sistema hormonal ativa uma série de reações que pode ter como consequência o aumento da insulina, que geralmente vem acompanhada de maior produção sebácea. Os carboidratos de alto índice glicêmico (açúcar refinado, farinha branca) são alguns exemplos de alimentos que, se ingeridos em excesso, podem incentivar tais reações. O “temido”, mas superapreciado chocolate também entra nesse grupo. O ideal é optar pelas versões com maior teor de cacau – que geralmente possuem menos açúcares – e moderar na quantidade ingerida. E as pessoas que apresentam maior tendência à acne devem ficar mais atentas, pois a ingestão desses alimentos pode piorar o quadro.

Quem tem pele oleosa também tem cabelo oleoso?

Geralmente sim. As glândulas produtoras de sebo estão presentes também no couro cabeludo, logo uma pessoa de pele oleosa também costuma apresentar cabelo oleoso. Desse modo, assim como a pele, o cabelo precisa de cuidados diferenciados, para que se mantenham saudáveis, firmes e volumosos.

/comentários

Dr. Bruno Vargas
Categorias Instagram